quinta-feira, 18 de julho de 2013

A mãe da minha amiga

Eu sempre tive a fantasia de transar com a mãe de uma amiga minha. Sua mamãe, Maria Salete, tem vinte e cinco anos a mais de idade do que eu. Sempre a admirei pela sua postura diante da vida e pela bela mulher que ela é. Quando vou à casa de minha amiga Eliane, fico horas conversando com sua mamãe. Eliane brinca comigo me perguntando se eu fui à sua casa para vê-la ou para ficar conversando com sua mamãe. (risos) Ela fica admirada pela afinidade que nós temos. Nem ela, sendo filha, tem tantas afinidades assim. Eu as conheço há cinco anos, mas temos a sensação de nos conhecer a um tempo bem maior. Maria Salete já brincou comigo dizendo que também sou sua filha. (risos) Ela é uma mulher alto astral e muito sensual.
Maria Salete é viúva, branca, 1,64m, 68Kg, olhos castanhos escuros, cabelos compridos, lisos, loiros, coxas grossas, seios médios, quadril largo, bumbum enorme, um pouquinho de culote (acúmulo de gordura na cintura, quadril ou na lateral das coxas, em função dos hormônios femininos ou características genéticas) na lateral das coxas e super feminina.
Eu sinto esta vontade louca de transar com ela há três anos. Maria Salete é cortejada por homens e mulheres. Acredito que as minhas vontades sexuais, em relação a ela, sejam recíprocas (mútuas, ela também sente algo em relação a mim), pois do contrário, eu não estaria sentindo isso por ela. Criei coragem e fui à luta!
Num sábado, do mês de janeiro deste ano, eu, Eliane e algumas amigas, fomos ao shopping e depois num barzinho. Curtimos a noite e, na volta, dormi na casa de Eliane. Quando chegamos, por volta das 02h da madrugada, Maria Salete ainda estava acordada, em seu quarto. Fomos até lá para darmos boa noite a ela. Ela estava assistindo televisão e quase dormindo. (fiquei com uma vontade louca de agarrá-la e me deitar com ela, mas não podia ? risos) Comemos um pedaço de bolo de chocolate na cozinha e ficamos comentando os acontecimentos daquela noite. Minha amiga entrou no banho e depois eu. Já no quarto de Eliane, que fica ao lado do quarto de sua mamãe, conversamos um pouco mais em sua cama de casal e logo adormecemos.
Por volta das 04h37m, eu acordo e me levanto para ir ao banheiro. Fiz xixi e fui tomar um gole de água na cozinha. Não parava de pensar na Maria Salete. Estava excitada por tê-la visto deitada de calcinha e camisola branca, de renda. Tive a idéia de espiá-la dormindo em sua cama. Quando chego à entrada de seu quarto, percebo que a porta está entreaberta. Maria Salete dormindo graciosamente e, como de costume, seu abajur estava aceso. Um quarto à meia luz. Silenciosamente, empurrei a porta para tentar vê-la um pouco melhor. Foi uma cena linda! Maria Salete estava dormindo de lado, pernas confortavelmente abertas e seu edredom quase todo fora de seu corpo! Ela estava de quina pra lua (um grande bumbum redondo, carnudo e apontado para o alto). Uma calcinha branca e cavada que a deixava muito sexy! Uau... Fiquei molhada em ver, pela primeira vez, Maria Salete quase do jeito que veio ao mundo. Linda! Era ainda melhor do que eu havia imaginado! Não resisti àquela tentação... Abri a porta com cuidado e me aproximei de sua cama. Ela dormia parecendo uma gatinha manhosa! Misericórdia, Senhor! (exclamei pensando) Meu coração estava acelerado! Eu estava com medo de minha amiga ou sua mamãe acordarem. Mas criei coragem, respirei fundo e, cuidadosamente, sentei sobre sua cama. Aproximei meu rosto daquele bumbum maravilhoso! Maria Salete dormia tranquilamente. Eu velava seu sono! Sentia meu corpo suar e minhas mãos tremerem! Eu estava tensa e ao mesmo tempo excitadíssima!
Meu nome é Fabiana, 18 anos, branca, 1,57m, 61Kg, olhos e cabelos (compridos e ondulados) castanhos claros, coxas grossas, seios grandes, bumbum médio e bem feminina. Estava descalça, de calcinha e camisete branca, sem costura.
Delicadamente, enfiei meu rosto entre as pernas dela e comecei a esfregar minha boca sobre suas coxas. Que macias! Maria Salete não acordou. Apenas se mexeu na cama e se ajeitou. Eu estava ansiosa, com medo do que poderia acontecer, mas continuei. A vontade de estar com ela era mais forte que o medo de ser pega em flagrante! (risos) Comecei a esfregar meus lábios da boca sobre sua calcinha, na região da entrada de sua vagina e no ânus. Que cheiros maravilhosos exalavam! Sua calcinha e sua pele cheiravam maravilhosamente bem. Encantei-me! Maria Salete não acordou e ainda abriu um pouco mais suas pernas. Ela estava relaxada! Comecei a beijar seu bumbum e suas costas. Acomodei-me a seu lado, sobre a cama, e a abracei por trás, puxando-a para meu corpo quase nu.
Neste momento, Maria Salete acordou e virou seu pescoço, olhando-me. Parecia estar tomando consciência de onde estava e com quem estava. Eu continuei abraçada a ela e sentindo o calor de seu corpo junto ao meu. Ela indagou:
- Bi!? O que você faz aqui, menina? Meu Deus, que susto! Assim você me mata do coração!
Eu a olhei e disse:
- Faz tempo que eu sonho em estar contigo, Salete! Deixe-me ficar aqui contigo?
E comecei a esfregar meu corpo nela. Meus seios, sob minha camisete, tocavam suas costas e eu fiquei molhada, ainda mais! Maria Salete respondeu:
- Menina, tome tento! Você é muito novinha para fazer estas coisas! Vá deitar... Isto não deve acontecer! Eu a vejo como minha filha. Controle-se... Deste jeito acabaremos fazendo coisas que não devemos! Vá para a cama!
Eu logo respondi, carinhosamente e sussurrando em seu ouvido esquerdo:
- Na cama eu já estou! Eu não sou sua filha. Eu sou uma mulher que lhe deseja. Você me excita por demais, Salete!
E comecei a beijar seu pescoço e sua orelha. Passei minhas mãos nas suas coxas, bumbum e seios. Em sua cama macia, o calor de seu corpo me alucinava a cabeça. Eu a apertava de uma maneira tão intensa que ela não resistiu e deixou a nossa emoção aflorar! Maria Salete começou a gemer em meus braços e a esfregar seu bumbum na minha calcinha. Eu fiquei doida! Ela virou seu corpo e nos beijamos! Sentia pela primeira vez o gosto de seus lábios, da sua saliva e seus toques macios sobre meu corpo. Que sensação maravilhosa! Impressão de estar fazendo algo proibido! Ela me apertava com tanto tesão que eu logo gozei. As contrações intensas dentro de mim me fizeram gemer bem gostoso e pude sentir meu líquido quente esguichar lá do fundo de minha vagina e escorrer na minha calcinha.
Maria Salete me beijava e chupava minha língua. Quando ela tocou-me na calcinha, logo notou que eu havia me acabado em seus braços macios! Sua língua maravilhosa começou a percorrer meu pescoço e meus seios. Ela tirou minha camisete e abocanhou meus seios inchados. Sugou meus bicos duros. Ela os apertava de uma maneira gostosa. Sentia muitas contrações dentro de minha vagina, fazendo-me se contorcer a todo instante. Nós gemíamos e sussurrávamos sobre sua cama. Ela foi abaixando minha calcinha e passando seus dedos em meu sexo. Maria Salete enfiou seus dedos, indicador e médio, dentro de mim. Ela os mexia para lá e para cá enquanto beijava minha boca. Eu estava ofegante e sentia meu corpo tremer inteiro com os carinhos que recebia dela. Tive outro orgasmo! Aaai... Hum. Delícia gozar com ela. Maravilhosa!
Eu passava minhas mãos sobre sua bunda redonda e descia sua calcinha. Quando toquei sua vagina percebi que ela estava ensopada! (fiquei louca) Comecei a dedilhar seu clitóris e ela a gemer ainda mais. Fiquei tocando-o até ela gozar em meus dedos! Pude sentir sua respiração ofegante em meu rosto e seus gemidos de gozo. Ela ficou ainda mais linda tendo um orgasmo! Maria Salete retirou os dedos de minha vagina e enfiou em minha boca. Eu fiz o mesmo nela. Ficamos nos beijando e sentindo o aroma de nossas vaginas!
Fui descendo minha língua por todo seu corpo. Por onde eu lambia, deixava um rastro molhado de salivas. Chupei seus seios. Quando cheguei à vagina, abocanhei-a. Abri suas pernas e comecei a passar minha língua em seu grelinho e na entrada da vagina. Enfiei minha língua nela. Que boceta gostosa de lamber! Apertei a pele que recobre seu clitóris, com meus dedos indicadores, e comecei a lambê-lo. Balançava minha língua para lá e para cá até ela gozar em minha boca. Ela mexia seu quadril descontroladamente. Maria Salete sentia contrações e, quando gozou, enfiei minha língua na sua vagina e lambi seu líquido quente. Ela segurou em minha nuca e apertou minha boca na sua vagina, gemendo bem gostoso. Aaai... Aaai!
Maria Salete me puxou para cima dela e nos beijamos. Ela queria sugar seu líquido misturado a minha saliva. Sentia sua língua lambendo a minha e me deixando doida novamente. Estávamos intensas! Ela me puxou para o lado e ficou sobre mim, ainda me beijando. Pedi a ela que me deixasse fazer meia nove com ela. Ela sorriu e prontamente virou seu belo quadril para o meu deleite! Eu estava sob aquele bundão maravilhoso que eu tanto me masturbei pensando! Ela jogou seus cabelos loiros para o lado e caiu de boca na minha boceta. Ela tinha uma sede para me chupar que eu logo gozei sentindo seus seios roçando minha barriga.
Mesmo estando à meia luz, eu podia ver aquela bunda gostosa e grande sobre meu rosto. Passei minha língua em seu ânus suado e fiquei doida quando senti aquele cheiro de ?cu sem lavar?. (risos) Eu adoro cheiros ao natural! Tanto de vagina (leve cheiro de xixi) quanto de ânus (leve cheiro de cu sem lavar ? risos) Comecei a lamber seu cu e depois enfiei minha língua dentro de sua boceta. Apertava aquela bunda carnuda e sentia-a gozando na minha boca. Abria seu clitóris e sugava seu grelo. Maria Salete até abaixava seu quadril enquanto gozava. Enquanto isso, ela dedilhava minha boceta e enfiava seus dedos. Lambeu meu cu e até enfiou seu dedo indicador nele, levando-me a intensos orgasmos!
Ficamos trocando prazer em sua cama até amanhecer. Gozamos diversas vezes e fomos muito carinhosas uma com a outra. Por volta das 06h27m eu fui para a cama de Eliane e dormi bem gostoso, toda melada de gozo! Eliane não podia imaginar que eu estava melada por ter estado com sua mamãe! (risos)
Maria Salete é muito especial para mim. Escrevi este conto para homenageá-la. Ti amo. Sempre.
Pessoal, por hoje é só! Fique em paz e obrigado pela leitura. Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário